fbpx

Você conhece os direitos do consumidor nas compras online?

shape
shape
shape
shape
shape
shape
shape
shape

Internet não é uma terra sem lei.

Hoje, conhecer esses direitos tornou-se indispensável para quem quer vender e comprar.

Para que esse fluxo aconteça de maneira sustentável e segura para ambos os lados, o Código de Defesa do Consumidor precisou reforçar suas regras, que são um pouco diferente das aplicadas no mundo físico, afinal, são muitas incertezas e os clientes precisam, mais do que nunca, de garantias para comprar, para que assim os lojistas vendam também com segurança e toda a cadeia se mantenha de maneira saudável.

Dentre todas as regras, a que assegura maior direito ao cliente – e também maior preocupação ao lojista – é o ARTIGO 49, que assegura o direito de arrependimento da compra, seja de produtos ou serviços.

Essa regra também inclui as compras feitas pelo telefone ou em domicílio, através de catálogos por exemplo.

O cliente não precisa ter efetivamente um motivo. Apenas a desistência ou mudança de opinião, não ter ficado satisfeito ou se arrependido, é suficiente (o que já acontece e é muito comum nos EUA, nas compras físicas) e tem que ocorrer no prazo de sete dias a partir do recebimento da mercadoria, ou assinatura de contrato.

Nesse caso, o lojista deve ressarcir todo o gasto, o que inclui o frete de devolução, uma vez que foi cobrado, sem ônus algum ao cliente, e tão pouco dificultar o processo.

Em geral, o ressarcimento do frete não é feito de maneira antecipada. Após a mercadoria ser devolvido e confirmado que não contém avarias ou peças faltantes, o vendedor faz o estorno do valor gasto pelo cliente.

Mas, como o cliente pode garantir esse direito?

Em primeiro lugar pesquise sobre a loja. Hoje é possível verificar a reputação de um e-commerce e suas avaliações de maneira simples, pela internet. No caso de não cumprimento, busque seus direitos assegurados pela lei;
Dica para lojistas: coloque fotos em boa qualidade, com todos os detalhes e especificações do produto ou serviço, para minimizar situações em que o cliente se frustre ao receber o produto até então visto apenas pela internet.

No caso de venda de serviço, seja claro e objetivo durante a venda, na proposta comercial e orçamento, a fim de que a compra não seja feita por impulso, para que não corra o risco de o cliente se sentir onerado ou se arrependa.

Afinal, dentro da cadeia de venda a devolução de uma mercadoria ocasiona prejuízos, como tempo da equipe, gastos com pacote, envio, programação, além de o produto ficar fora do estoque, e dependendo da situação, deixar de ser vendido para outro cliente.

Então, comunicação clara minimiza esse risco, além de gerar credibilidade e confiança para a loja.

Reforçando que após os sete dias, o lojista é isentado de tal obrigatoriedade.

Você lojista, quer saber como deixar as vendas do seu e-commerce mais seguras, cliente no link abaixo e acesse o artigo que a nossa equipe de especialistas preparou para você.

https://eshieldbr.com.br/como-deixar-as-vendas-da-sua-loja-mais-segura/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *